quinta-feira, 31 de maio de 2012

NASA declara: o mundo não acabará em 2012

Ao chegarmos mais perto da data para o fim do mundo, baseada no calendário maia, uma parte da população tem ficado preocupada com a situação.

Quem mais sofre com estas especulações é a NASA, que passa a receber insistentes perguntas sobre a alegação do apocalipse.

Julgando necessário acalmar essa parcela da população, a NASA se pronunciou referente ao suposto acontecimento e declarou que não existe possibilidades de que o planeta Terra sofra com algum tipo de apocalipse vindo do espaço:



Se o apocalipse vier do espaço, podemos ficar despreocupados por mais um ano.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Exemplos de comportamento humano em macacos

O vídeo mostra vários comportamentos humanos observado em macacos, como a capacidade de aprender e copiar, compaixão, etc.


Após assistir ao vídeo, não fica difícil considerar a hipótese da seleção natural.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Debate - Ciência vs Religião

O 3a1 traz um filósofo, um teólogo e um físico para tratar de um assunto pouco comum na televisão brasileira: as grandes questões existenciais sobre a origem da vida no Planeta Terra.

O grande embate entre os adeptos do criacionismo, que professam interpretações do texto bíblico para explicar os mistérios da criação humana; versus o pensamento científico, que se apoia na seleção natural da teoria do evolucionismo de Charles Darwin para defender o Big Bang como princípio da formação do universo.

Assuntos como ateísmo, fanatismo, determinismo e liberdade de credo foram temas tratados no debate com clareza e desenvoltura. Tudo isso com o objetivo de aproximar o telespectador de questionamentos filosóficos que fazem parte do dia a dia, principalmente quando se trata de religião, devoção e fé.

A grande busca do homem em toda sua existência por respostas maiores foram apresentadas como dúvidas que permeiam também a vida dos debatedores -- especialistas em suas áreas, mas não detentores de respostas definitivas. Eles analisam as grandes contradições deste embate secular, na perspectiva da história, da diversidade cultural e do avanço do conhecimento.

Para falar do assunto, o 3a1 recebe a filósofa Nelma Medeiros, professora de filosofia da UFRRJ e integrante do NovaMente (clínica, pesquisa e estudo em psicanálise); o biofísico Henrique Gomes de Paiva Lins de Barros, professor do Instituto Carlos Chagas e ex- Diretor do Museu de Astronomia e Ciências Afins; e o filósofo e teólogo Luiz Correa Lima, professor do Departamento de Teologia/PUC-RJ.

A apresentação é de Luiz Carlos Azedo.

3a1: toda quarta, às 22h00, na TV BRASIL.

Para mais edições, acesse: http://tvbrasil.org.br/3a1/

Pessoas demoram mais para envelhecer no espaço

Como os astronautas que estão na Estação Espacial Internacional (ISS) estão se movimentando tão rápido, eles também estão envelhecendo um pouco mais devagar do que o resto de nós. Devido a um princípio da física conhecido como dilatação do tempo, depois de seis meses de permanência na ISS, os astronautas que voltam são um pouquinho mais jovens do que o resto de nós. 
Mas antes que você compre uma passagem que o leve, literalmente, para fora deste mundo, entenda que isso que estamos falando não é exatamente uma fonte da juventude. Seus seis meses de esforços para reduzir o envelhecimento vão lhe proporcionar apenas 0,007 segundos de vida extra, de acordo com cálculos de um astronauta da ISS.

Mas essa não é realmente a questão que estamos tratando quando discutimos como os humanos envelhecem no espaço. Vamos começar com um resumo de como o processo de envelhecimento acontece na Terra. Até os cientistas descobrirem uma forma de nos tornar imortais, a maioria de nós passa pelo processo de envelhecimento. Isso geralmente envolve metamorfoses, como ossos se tornando frágeis, veias enrijecendo, músculos ficando ineficientes, articulações se endurecendo, intestinos ficando irritáveis, bexigas se tornando imprevisíveis, dentes se decompondo, visão diminuindo, pele enrugando e por aí vai.
Enquanto para a maioria das pessoas leva décadas para que elas realmente comecem a sentir os efeitos do processo de envelhecimento, os humanos baseados no espaço experimentam alguns deles em avanço rápido. Geralmente, os efeitos são reversíveis uma vez que o astronauta volta pra casa, embora às vezes algumas poucas mudanças possar ser permanentes.

A falta de gravidade é a principal causa dessas alterações intensas.A gravidade é uma das mais importantes forças que atuam na Terra, e ela desempenha um papel imenso na maioria de nossos sistemas corporais. Pegue os músculos como exemplo. Os músculos de pessoas mais velhas tendem a encolher e se atrofiar à medida que elas envelhecem e se tornam menos móveis. Os músculos dos astronautas reagem de maneira similar porque mal são usados. É por isso que os astronautas no espaço por períodos prolongados usam máquinas especiais de exercícios para ajudar a mitigar esse efeito.

Um processo similar acontece com os ossos. Depois de uma certa idade, as pessoas na Terra começam a perder massa óssea, geralmente a uma taxa de cerca de 1% a 2% ao mês. Como o sistema esquelético dos astronautas não precisa suportar seu peso, os ossos começam a diminuir a produção de novo material ósseo e a aumentar a quantidade de absorção do osso velho. Felizmente, seus sistemas esqueléticos voltam ao normal depois de um tempo passado em terra firme.

Embora eles digam 0,007 segundos, os astronautas ainda experimentam alguns dos sintomas de um processo de envelhecimento persistente. Pesquisadores estão trabalhando para descobrir a mecânica de por que essas mudanças ocorrem, bem como o que pode ser feito para evitá-las. Essa informação não só ajudará a tornar o voo espacial mais fácil para o corpo humano, como também ajudará a melhorar a vida na Terra.

Fonte:

Asteroide descoberto em 23/05 passará de "raspão" na Terra nesta segunda-feira

Um asteroide de 20 metros passará hoje (28/05) a apenas 51 mil km da Terra, pouco acima da órbita dos satélites geoestacionários. O objeto, batizado 2012 KP24, só foi descoberto no dia 23/05 (quarta-feira passada). 
Apesar do "raspão", em distâncias astronômicas, não há risco de impacto com o planeta e não será possível vê-lo a olho nú, devido ao seu pequeno tamanho.

Se entrasse em nossa atmosfera, provavelmente se fragmentaria e não chegaria a atingir o solo.

O horário de máxima aproximação está previsto para às 12h20, no horário de Brasília.

Fonte:

Você sabe quanto ganha um astronauta?

Diga a palavra "astronauta" e você logo invocará as visões de heróis e feitos heróicos: Alan Shepard e Virgil Grissom concluindo com sucesso os voos suborbitário; John Glenn orbitando a Terra a bordo do Friendship 7 em um voo histórico de cinco horas; Neil Armstrong descendo a escada do módulo lunar na superfície da Lua; e Jim Lovell estabilizando a Apollo 13 após uma explosão. 
Bom, a maior parte dos astronautas norte-americanos é funcionário público. E como tal, eles precisam participar de reuniões, ir a sessões de treinamento e escrever relatórios - como qualquer outro funcionário de escritório. Entretanto, possuem algumas habilidades específicas, exclusivas a seu trabalho. E eles desfrutam, embora raramente, de oportunidades de viagem e trabalho no espaço. Desse ponto de vista, você pode dizer que os astronautas são funcionários comuns do governo que precisam viajar muito, tanto pelo mundo quanto no espaço.


Espera-se que os astronautas civis permaneçam na NASA por pelo menos cinco anos; durante esse período são funcionários do governo federal. A promoção para a maioria desses funcionários baseia-se em um sistema de níveis de salário ocupacional ou "cargo". Uma classe geral (GS, sigla para general schedule) determina os salários para 15 cargos. Os funcionários geralmente ingressam no serviço civil federal no cargo inicial de uma determinada função e começam a progredir até chegarem ao cargo máximo para aquela ocupação. A classificação das remunerações dos astronautas civis vai de GS-11 a GS-14, com base na experiência e na formação acadêmica. Atualmente, um astronauta da GS-11 recebe inicialmente US$59.493 por ano; um astronauta da GS-14 pode ganhar anualmente até US$130.257.
Os astronautas civis podem escolher o plano de saúde e o seguro de vida; o pagamento do prêmio dessas apólices é compensado em parte pelo governo. Como todos os funcionários públicos, os astronautas contratados após 1º de janeiro de 1984 participam do FERS (Sistema de Aposentadoria de Funcionários Públicos Federais), um plano de aposentadoria de três fases que inclui previdência social, um fundo de pensão e um plano de poupança econômica opcional.


Os astronautas militares são nomeados para a NASA por um tempo de serviço especificado. Eles permanecem na ativa e recebem seus salários, benefícios e licenças como militares.


Fonte:
HSW

Papa Bento XVI afirma que crise na Europa é fruto da rejeição a Deus

O líder máximo da Igreja Católica, Papa Bento XVI, deu um discurso a um grupo de bispos italianos, na última quinta feira (24), no qual afirmou que o período complicado da economia europeia é consequência da rejeição de pessoas a Deus.
O papa afirmou que crise econômica pela qual a Europa está passando “nasceu da rejeição de pessoas a Deus, que é quem garante a nossa felicidade”. O líder católico disse ainda que “Deus se tornou para muitos o grande desconhecido e Jesus é apenas um grande personagem no passado”.

Ele lamentou que Deus tenha sido “excluído do horizonte de muitas pessoas” e que na discussão de questões importantes para sociedade a religião tenha sido colocada no “reino subjetivo”, reduzida “a um fato privado e íntimo, à margem a consciência pública”. Ele completou afirmando que “a crise que a Europa está ligada a essa negligência, a essa rejeição de abertura para o transcendente”.

Segundo o EWTN Notícias esse tipo de mensagem tem sido recorrente entre líderes católicos. Recentemente, dom Luís Martínez Sistach, arcebispo de Barcelona, na Espanha, que é um dos países mais afetados pela crise atual, afirmou que “a negação de Deus esconde uma profunda desumanização do indivíduo e da sociedade”.

Fonte:
Gospel+

sábado, 26 de maio de 2012

Robô capta imagem espetacular da desolação de Marte

O robô marciano Opportunity da NASA capturou essa espetacular imagem da desolada paisagem de Marte.

Além de sua própria sombra, o robô, que está explorando Marte desde Janeiro de 2004, capturou uma longa porção da cratera Endeavour, que ele continuará a explorar quando o inverno marciano passar.

O Opportunity está estudando a borda ocidental da cratera Endeavour desde que chegou lá em agosto de 2011. Esta cratera se estende por 22 km de diâmetro.

Além da paisagem, chama a atenção a poeira acumulada nos painéis solares do robô marciano, que não conseguem gerar energia elétrica suficiente para uma operação de trabalho normal durante os meses de inverno, quando o Sol fica baixo demais no horizonte de Marte.

O robô usou sua câmera panorâmica entre as 4h30 e 5h00 da tarde para capturar imagens obtidas através de diferentes filtros, aqui combinadas para formar este mosaico.

A fim de dar ao mosaico um aspecto retangular, algumas pequenas porções das bordas do solo e do céu foram preenchidas com partes de uma imagem capturada anteriormente, como parte de uma visualização panorâmica de 360 graus do mesmo local.

O mosaico combina cerca de uma dúzia de imagens obtidas através de filtros com comprimentos de onda de 753 nanômetros (infravermelho próximo), 535 nanômetros (verde) e 432 nanômetros (violeta).

A vista é apresentada em cor falsa para permitir uma diferenciação entre os materiais mais fáceis de ver, como as ondulações na areia e dunas escuras no chão distante da cratera.

Fonte:

Crateras de Marte podem abrigar vida microbiana

Esta semana a sonda Mars Express, da ESA (agência espacial europeia), revelou várias cadeias de crateras de abaixamento na base de um dos maiores vulcões do Sistema Solar.

Dependendo da maneira como terão sido formadas, essas crateras poderão ser um lugar muito interessante para procurar vida microbiana no Planeta Vermelho, afirmam os cientistas.
Outro grupo, porém, estudando outro tipo de crateras aqui na Terra mesmo, também acredita ter encontrado um local promissor para procurar vida em Marte.

Crateras de Marte

As imagens da ESA mostram as formações de Tractus Catena, no quadrilátero de Arcadia.

Esta zona faz parte da extensa região de Tharsis, onde também existe um grupo de enormes vulcões, em que se destacam os três conhecidos como Montes de Tharsis. A norte está o Monte Alba ou o Alba Patera, um dos maiores vulcões do Sistema Solar, em termos de superfície e volume.

As crateras de Tractus Catena partem do lado sudeste do Monte Alba, e são formadas por cadeias de depressões circulares largas, que se estendem ao longo de fraturas na superfície.

Origem vulcânica ou tectônica

As cadeias de crateras de abaixamento podem ter origem vulcânica. A lava emitida por um vulcão começa a solidificar na superfície, criando um tubo, no interior do qual continua a fluir a lava fundida.

Quando cessa a atividade vulcânica, o tubo fica vazio, formando-se uma cavidade subterrânea.

Ao longo do tempo, partes do teto por cima da cavidade podem colapsar, deixando depressões circulares na superfície.

Na Terra, podem ser encontradas estruturas semelhantes, por exemplo nas laterais do vulcão Kilauea, no Hawai.

Na Lua, a região de Hadley Rille, visitada pela nave Apollo 15, em 1971, pode ter sido formada pelo mesmo processo, há bilhões de anos.

As cadeias de crateras de abaixamento também podem se originar de forças que se manifestam na crosta marciana, o que se traduz numa série de depressões paralelas conhecidas como grabens, ou fossas tectônicas.

Água marciana

Mas o cenário mais arrojado é o que aponta para a ação da água subterrânea.

Na Terra, há exemplos claros de estruturas semelhantes nas regiões cársticas - nome derivado de Karst, a palavra alemã para a região entre a Eslovênia e a Itália, onde este fenômeno foi estudado pela primeira vez.
Um dos exemplos mais famosos na Terra é a rede de "cenotes", na península do Yucatan, no México. Estes poços profundos formam-se quando as rochas de calcário na superfície colapsam, expondo a água por baixo.

Esta possibilidade é a mais interessante no contexto da pesquisa por vida microbiana em Marte.

Se as crateras de abaixamento forem resultado do colapso de cavidades subterrâneas, há a possibilidade de alguns microrganismos terem sobrevivido,protegidos da agressividade do ambiente da superfície.

A exploração robótica da superfície de Marte indica que a radiação no planeta é cerca de 250 vezes mais intensa do que na Terra, o dobro dos níveis a que estão expostos os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional.

Se esta cadeia de crateras estiver mesmo associada a um sistema de covas, no futuro poderão servir de refúgio aos astronautas que venham a explorar o Planeta Vermelho.

Independentemente do modo como se formaram, estas cadeias de crateras de abaixamento ilustram mais uma vez as múltiplas semelhanças entre os processos geológicos de Marte e da Terra, e apresentam interessantes objetivos para futuras missões de exploração.

Crateras de impacto

As semelhanças entre a Terra e Marte são ainda mais importante no ver de Charles Cockell e seus colegas da Universidade de Edimburgo, na Escócia.

Depois de escavar quase 2 quilômetros abaixo do local da queda de um asteroide, em Chesapeake, nos EUA, eles descobriram micróbios espalhados de forma desigual sob a rocha.

Isso, segundo o grupo, sugere que o meio-ambiente ainda estaria se adaptando ao evento, mesmo 35 milhões de anos após o impacto.

O calor do impacto da colisão de um asteroide é suficiente para matar qualquer espécie de vida na superfície.

Contudo, segundo os cientistas, falhas em rochas subterrâneas permitiriam que água e nutrientes chegassem até as profundezas, possibilitando a vida.

Assim, as crateras proporcionariam um refúgio para os micróbios, protegendo-os dos efeitos de mudanças climáticas, como aquecimentos globais e eras glaciais.

Fazendo a analogia com Marte - todo este estudo foi feito na Terra - eles propõem que as crateras de impacto de meteoros são os lugares mais promissores para procurar por sinais de vida em nosso vizinho vermelho.

"As áreas profundamente fraturadas ao redor das crateras de impacto podem fornecer um refúgio seguro no qual micróbios podem prosperar por longos períodos de tempo. Nossas descobertas sugerem que a subsuperfície das crateras de Marte pode ser um lugar promissor para procurar por indícios de vida," disse Cockell.

Fonte:

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Meteoritos de Marte têm moléculas orgânicas, mas não biológicas


"Moléculas orgânicas descobertas em meteorito marciano".
Se isto lhe parece familiar, eventualmente até com um cheiro de naftalina, não precisa se preocupar.
Juntamente com as "descobertas de água em Marte" e as impressionantes "descobertas de água na Lua", em volumes que chegaram a ser comparados aos oceanos da Terra, o assunto é polêmico e, por isso mesmo, repetitivo.
Moléculas com grandes cadeias de carbono e hidrogênio - os chamados blocos básicos de construção de toda a vida na Terra -, têm sido alvos das missões a Marte desde as sondas Viking, nos anos 1970.
Pelo menos 10 anos antes disso, essas moléculas já haviam sido encontradas em meteoritos de Marte caídos aqui na Terra.
Mas, desde essas primeiras descobertas, os cientistas têm discordado sobre como essas moléculas orgânicas teriam se formado, e se elas teriam ou não vindo realmente de Marte.
Moléculas orgânicas em Marte
Um novo estudo, publicado hoje na revista Science, fornece fortes argumentos de que este carbono teria se originado realmente em Marte, não sendo fruto de contaminação terráquea.
Mas a ressalva deve ser feita com ênfase, dizem os cientistas: as moléculas de carbono marciano não têm origem biológica.
Ou seja, as moléculas de carbono não são "prova da existência de vida em Marte", elas se originaram de processos vulcânicos.
Se elas se juntaram para formar vida marciana no futuro do planeta - depois que as rochas agora estudadas foram arrancadas de lá - é assunto que permanece em aberto.
Os que os cientistas argumentam é, essas moléculas orgânicas - ou seja, moléculas à base de carbono - não são moléculas biológicas. Embora os compostos orgânicos de carbono sejam essenciais para a vida, eles podem ser criados também por processos não-biológicos.
De resto, não há consenso entre os cientistas sobre a origem dessas macromoléculas de carbono detectadas nos meteoritos marcianos - simplesmente não há dados suficientes para qualquer conclusão definitiva.
Fora aqueles que argumentam que sua origem é a contaminação em outros meteoritos ou aqui na Terra mesmo, os argumentos dividem-se entre reações químicas em Marte, ou restos de vida biológica nos primórdios do planeta.
Origem vulcânica
Andrew Steele e seus colegas examinaram amostras de 11 meteoritos marcianos, cujas idades abrangem cerca de 4,2 bilhões de anos de história marciana.
Para fugir dos argumentos da contaminação, eles procuraram pelas moléculas no interior dos cristais dos meteoritos, sem quebrar esses cristais, usando uma técnica chamada espectroscopia Raman, que usa o espalhamento da luz de um laser no material para determinar sua estrutura atômica e sua composição química.
A equipe detectou compostos de carbono grandes em 10 dos meteoritos estudados, no interior dos grânulos cristalizados dos minerais, demonstrando que pelo menos algumas dessas moléculas são de fato marcianas.
Seus resultados indicam que o carbono foi formado durante o vulcanismo em Marte, mostrando que a química orgânica está presente na maior parte da vida de Marte - de resto, uma boa notícia para a busca de sinais de vida em Marte.
"Entender a gênese dessas macromoléculas não-biológicas de carbono é crucial para o desenvolvimento de futuras missões para detectar sinais de vida em nosso planeta vizinho," disse Steele.
Fonte:

Pesquisa indica que chimpanzés tem cultura própria

Pesquisas conduzidas por cientistas do Instituto Max Planck, na Alemanha, trouxeram novos dados sobre a proximidade de comportamento entre chimpanzés e seres humanos. Segundo o artigo, publicado pela revista Current Biology, as diversas comunidades de chimpanzés selvagens têm diferenças culturais marcantes, independentemente de suas condições genéticas.
Depois de observar os diferentes grupos de chimpanzés do Parque Nacional Tai, na Costa do Marfim, os pesquisadores puderam comprovar as diferenças culturais, como o uso de ferramentas e métodos diferentes para as mesmas tarefas, por uma questão de preferência.


Os pesquisadores notaram que quando um indivíduo era separado de seu grupo, ele seguia com os modos culturais de sua comunidade de origem. Vale ressaltar, que os diferentes grupos são vizinhos e compartilham características genéticas, o que distingue este estudo dos anteriores e define que as variações entre eles derivam de comportamentos culturais, como aqueles que marcam as sociedades humanas.


Fonte:
The History Channel

NASA dá início a treinamento de astronautas que viajarão até asteroide

A Nasa dará início, em pouco menos de um mês, ao treinamento dos astronautas selecionados para uma missão que promete levar, pela primeira vez, os seres humanos até um asteroide. O treinamento tem como objetivo capacitar os astronautas para o pouso em um asteroide, a exploração da sua superfície, a busca por minerais e também uma avaliação sobre possíveis riscos que este objeto pode trazer para a Terra, como a probabilidades de uma colisão.
A estimativa é de que a missão dure cerca de um ano. Os astronautas teriam, no máximo, 30 dias para explorar a superfície do asteroide. Embora nenhum anúncio oficial tenha sido emitido, acredita-se que a primeira missão pode ocorrer no final da próxima década.


Fonte:
The History Channel

Seria a Terra um grande organismo vivo?

A hipótese de Gaia, elaborada na década de 1970, pelos cientistas James Lovelock e Lyn Margulis propõe que a Terra é um grande sistema sensível e autorregulado, projetado por muitos processos físicos e biológicos, conectados de maneira simultânea, que muitas vezes é imperceptível para seus habitantes. Recentemente, um grupo de pesquisadores da Universidade de Maryland nos Estados Unidos descobriu e desenvolveu um método que pode comprovar ou desmentir de maneira precisa esta hipótese.




A chave central deste método está no enxofre. Segundo explicam os autores em artigo publicado pela revista Proceedings of the Nacional Academy of Sciences foi criada uma ferramenta que permite rastrear e medir a presença de sulfureto de dimetilo ao longo do ciclo do enxofre, tanto em organismos quanto na atmosfera. O sulfureto de dimetilo seria o responsável pela associação, como um elemento coordenador, de todos os ecossistemas da Terra, já que ele tem a capacidade de resistir à oxidação da água e transitar por terra e por ar. Portanto, com sua medição, seria possível calcular e estabelecer padrões sobre as respostas de diferentes organismos aos mesmos fenômenos.


Fonte:
The History Channel 

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Richard Dawkins apoia distribuição de Bíblias em escolas públicas

O militante ateu afirma que ao ler a Bíblia os estudantes vão deixar de acreditar no que ele chama de “falsidades”
Em entrevista ao jornal The Guardian o militante ateu Richard Dawkins afirmou que apoia a ação do secretário da Educação da Grã-Bretanha, Michael Gove, de distribuir exemplares da Bíblia Sagrada para estudantes das escolas públicas.

Mas o apoio não significa que ele possui a mesma opinião do secretário que tem como objetivo guiar os estudantes moralmente. Muito pelo contrário, Dawkins argumenta dizendo que o Livro Sagrado não faz restrição ao roubo, assassinato e mutilação, nem contra outros atos moralmente condenáveis.

Mas para ele seria interessante distribuir exemplares, pois “o caminho certo para desiludir dessas falsidades é ler a própria Bíblia”, disse ele.

Mas mesmo sendo opositor aos relatos bíblicos, o militante ateu admite que o livro tem qualidades literárias e que por esse motivo deve fazer parte da formação geral dos estudantes da Grã-Bretanha. Dawkins lembrou que muitas expressões usadas no dia a dia saíram do Livro Sagrado e lembrou uma bem famosa: “não há paz para os ímpios”.

No projeto do secretário da Educação os exemplares que serão distribuídos serão da Bíblia King James, uma tradução da Igreja Anglicana que completou 400 anos em 2011. Por ter uma enorme importância para o Reino Unido e para a própria tradução bíblica essa versão é a de maior tiragem no país.

Mas ao contrário de Gove e Dawkins, a Nacional Sociedade Secular não concorda com a distribuição de Bíblias nas escolas e diz que o ato seria um desperdício de dinheiro público. Fora isso a associação acredita que essa ação da secretaria de Educação vai favorecer o cristianismo, sendo que nenhum credo deve merecer atenção especial do governo.

Fonte:

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Grupo gay faz campanha para que Bíblias doadas pelos Gideões Missionários não sejam aceitas

Em Edimburgo, Escócia, um grupo ativista homossexual, chamado Associação Policia Gay (APG), realisou uma campanha pressionando para polícia do país não aceite doações de Bíblias realizada pelos Gideões Internacionais, com o símbolo do distintivo da polícia escocesa na capa do livro. O grupo se posicionou contra afirmando que a Bíblia é um livro homofóbico e exigindo que a polícia escocesa recuse as doações.


O trabalho de distribuição de Bíblias dos Gideões Internacionais é realizado em vários países. Na Escócia, as versões com capas diferenciadas foram feitas para “ser oferecidas a todos os membros da polícia, tanto aos funcionários uniformizados quanto aos funcionários civis”, conforme revelou o instituto.

A Associação Policia Gay explicou sua iniciativa como uma defesa de seus direitos após reclamações de alguns membros, “alguns haviam nos contactado expressando preocupação de que sua instituição policial estava oficialmente apoiando um livro religioso que contém texto que condena a homossexualidade”, dizia o comunicado do grupo.

Eles defendem a isenção da instituição policial em relação à instituição religiosa, “A APG não sente que um serviço público, tal como a polícia, deveria ser visto como apoiando, por seu envolvimento ativo, qualquer religião particular acima de qualquer outra religião ou não-religião”, e complementam, “certamente isso pode ser feito sem nenhum envolvimento da instituição policial”.

Fonte:
Gospel+

Já pensou em idolatrar o ato de compartilhar arquivos na internet? Conheça a Igreja Missionária do Kopimismo

Você já pensou em idolatrar o ato de copiar? Pois saiba que essa é a doutrina do kopimismo, onde o único mandamento é plagiar.

O movimento que já possui mais de 5 mil seguidores, foi criado em janeiro deste ano, pelo estudante de filosofia Isak Gerson de 19 anos, na Suécia. Por mais contraditório que pareça ser, o grupo foi reconhecido como religião pelo governo sueco.


Os seguidores são denominados "Kopimistas" se referindo a copy me (copie - me) em inglês, cuja meta é defender o direito de compartilhar arquivos na internet, independente da fonte ou obra.

O fundador disse ter se inspirado no site The Pirate Bay. Segundo ele o mundo é feito de cópias. "Só vamos evoluir á partir do momento que utilizarmos as obras de outras pessoas para fazer algo melhor", acredita.


O objetivo da religião não é adorar imagens ou crença em deuses, muito menos fenômenos sobrenaturais. O grupo idealiza obter acesso de forma legal em qualquer obra, mas, apesar do reconhecimento, eles ainda não alcançaram essa meta.

O aval do governo significa apenas que eles podem discutir e incentivar o tema sem medo. Segundo os oficiais da embaixada da Suécia, a legislação não será flexível em relação à pirataria. Um exemplo é o próprio The Pirate Bay, que teve os seus fundadores presos e condenados a um ano de prisão por violar leis de direitos autorais.

Por enquanto os kopimistas não tem direito aos benefícios que a Suécia dispõe às religiões, resta a eles cuidar do nome para que nenhum outro grupo pirateie.

Fonte:

domingo, 6 de maio de 2012

Pastor se diz reencarnação de Jesus e afirma que dominará o mundo após "fim dos tempos" em 30 de junho de 2012


As diversas conjeturas sobre o fim do mundo durante o ano de 2012 ganharam uma nova previsão: 30/06.

Segundo o líder da seita Creciendo em Gracia (Crescendo em Graça), José Luis de Jesús Miranda, o fim dos tempos não acontecerá no prazo estipulado pela profecia maia.
Porém, em sua previsão, o mundo acabará no dia 30 de Junho apenas para os que não seguem sua seita. De acordo com o site do Globo, Miranda e seus seguidores afirmam que governarão o mundo a partir dessa data, com “justiça e igualdade”.
Miranda era um pastor pentecostal em Miami, e nos anos 1980 fundou a seita, afirmando ser a segunda reencarnação de Jesus. A primeira reencarnação de Cristo, segundo a doutrina da Cresciendo em Gracia, teria sido o apóstolo Paulo.
A seita possui templos em 35 países, incluindo o Brasil, e conta com um canal de TV nos Estados Unidos. Seus seguidores tatuam o número 666 no corpo como símbolo de “prosperidade, amor e riqueza”.
Assista ao video sobre a seita:

Fonte:
Gospel+

Serra defende a atuação de igrejas na campanha eleitoral

Em meio à discussão levantada sobre a atuação de igrejas na campanha eleitoral, o ex-governador José Serra (PSDB) afirmou que a manifestação das igrejas na campanha eleitoral é “legítima”.

Serra, pré-candidato tucano à Prefeitura, defende que padres e pastores têm direito de defender seus princípios pelos, contanto que não façam uma “militância” formal. Ele disse em entrevista com Amaury Jr., da Rede TV, que se não for feito isso seria “autoritarismo”. "(Se) a pessoa tem uma religião e quer discutir princípios, é legítimo que o faça. Não são os candidatos que fazem a agenda. Quem faz a agenda são as pessoas", disse ele, segundo o IG. "Nós devemos respeitar e dar a elas o direito de se manifestar. Do contrário, seria autoritarismo." 

 As declarações de Serra causaram controvérsias entre seus colegas na política. O PT entrou em alerta, afirmando que a “agenda religiosa” deve ser evitada para o “bem” da democracia. “A religião não pode ir para o embate político. Isso é muito ruim, muito perigoso”, declarou o presidente estadual do PT, Edinho Silva. “Religião é de foro íntimo e pessoal. Trazer uma questão tão subjetiva, eu penso que é um retrocesso democrático.”


A preocupação do PT é que a entrada de líderes religiosos na campanha causa uma reedição da campanha presidencial de 2010, quando a pauta do aborto entrou em discussão.

O partido acusa a equipe de Serra de ter instigado os evangélicos a votarem contra Dilma Rousseff. O PT também teme que o nome de Fernando Haddad seja associado ao “kit gay”, material de combate à homofobia que gerou o furor dos religiosos.

A equipe de Serra tem afirmado recentemente, que Haddad sofre grande “rejeição” por parte dos evangélicos, por ter autorizado a elaboração do “kit gay”. Serra justifica a abertura aos religiosos como uma defessa da liberdade de expressão e diz que não a vê como militância eleitoral. "É legítimo que diferentes setores da sociedade se manifestem em defesa dos seus valores", afirmou o ex-governador na entrevista. "Não vejo como questão propriamente de militância eleitoral."

Fonte:
Christian Post

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Pastora abandona ministério e afirma não crer em deus: “agora sou ateia” - Veja a reação da plateia

Durante uma conferência de ateus realizada na cidade de Bethesda, Estado de Maryland, Estados Unidos, uma ex-pastora anunciou que havia se tornado ateia, pois não acreditava no que pregava.


“Meu nome é Teresa. Sou pastora de uma igreja metodista, pelo menos era. Eu me tornei ateia”, identificou-se Teresa MacBain, de 44 anos. A reação dos participantes do evento foi efusiva.
Filha de pastor, Teresa afirmou que durante seu ministério, havia sido “inimiga” dos ateus, e havia sido promovida a pastora sênior em 2009. Com a promoção, a ex-pastora cumpria uma rotina de duas pregações aos Domingos, além de cantar e orar junto aos membros da comunidade metodista.

Um projeto denominado “Clero”, mantido pela Fundação Richard Dawkins, considerado o ateu mais famoso do mundo, ofereceu suporte emocional enquanto ela tomava a decisão de assumir sua condição de ateia.

Segundo seu depoimento durante a conferência de ateus, Teresa MacBain afirmou que tomou a decisão de abandonar o ministério e assumir sua descrença por uma questão de consciência e lealdade com os fiéis que por anos, ouviram suas mensagens. “Agora me sinto bem”, afirmou Teresa

Em seu último sermão, dias antes da conferência,Teresa relatou ter falado sobre passado, angústias e sua necessidade pessoal de buscar novos rumos. Ciente das consequências, a ex-pastora passou a lidar com a rejeição das pessoas que a cercavam, recebendo avisos de parentes e que disseram não gostariam de tê-la mais em suas casas, e antigos colegas de ministério, como pastores com quem mantinha contato, romperam com ela.

Teresa contou que um ex-pastor e atual presidente da Freedom From Religion Foundation (em tradução livre do inglês, “Fundação Liberdade sem Religião”), uma entidade que reúne ateus, a procurou e avisou que isso aconteceria com ela: “É preciso estar preparada porque você vai perder a família, o emprego, tudo”, teria avisado o ex-pastor.

A ex-pastora relatou que tem sofrido ameaças através da internet de fiéis que se sentiram enganados por ela, além de possíveis empregadores, que desmarcaram as entrevistas que ela havia agendado. De acordo com informações do site Religion News Service, Teressa MacBain atualmente recebe auxílio de uma associação de humanistas do Estado da Flórida, que se ofereceu para bancar seu salário durante um ano, enquanto recomeça sua vida.

Assista no vídeo abaixo a reação da plateia de ateus ao anúncio de Teresa MacBain de que não cria mais em deus:


Fonte:
Gospel+

Pastor incentiva pais a espancarem filhos que pareçam gay

Sean Harris, da igreja Batista Bereana, na cidade de Fayetteville, Carolina do Norte, está no centro de uma nova polêmica envolvendo os homossexuais.


Durante um sermão ele sugeriu que os pais batessem nos filhos, se perceberem que os meninos se comportam como “maricas”. “Ele incentivou os pais cristãos que é melhor quebrar ossos que “perder os filhos para a homossexualidade”.

“Portanto, o seu filho pequeno começa a agir como uma menininha, se ele tiver mais de quatro anos diga a ele para agir feito homem, tirar o vestido e ir cavar uma vala, porque é isso que os meninos devem fazer… Não pegue sua câmera e comece a tirar fotos do menino agindo como uma menina e depois coloque no YouTube para todos rirem disso… Quando você menos esperar seu garoto estará agindo com fantasias infantis que deveriam ter sido esmagadas no início. Posso ser mais claro? Pais, no instante em que vocês perceberem seu filho sem pulso firme, vá até ele e quebre aquele pulso… Cara, dê-lhe um bom soco, ok? Diga: Você não deve agir assim. Você foi feito por Deus para ser macho e você vai ser um macho. E quando sua filha começa a agir como um menino, endireite ela. Você diz, ‘Oh, não, querida. Você pode praticar esportes. Mas jogue para a glória de Deus. Você deve agir como uma menina, andar como uma menina, falar como uma menina e cheirar como uma menina. Assim você será bonita. Você será atraente. Você vai usar vestidos bonitos…”

O áudio e o vídeo foram parar na Internet e geraram uma onda de críticas. Muitos sites e blogs reproduziram o vídeo e condenaram as declarações do pastor, especialmente a comunidade GLBT. Ele pediu desculpas em um comunicado oficial, dizendo que foi tudo um mal entendido e que tiraram suas palavras de contexto.

Durante entrevista a um programa de rádio, afirmou “Sei que aquelas não foram as melhores palavras. Se eu repetisse tudo de novo, escolheria outras palavras”. Ele faz questão de dizer que não está incentivando a violência contra crianças, mas que apenas considera necessário defender “a importância da distinção de gêneros criada por Deus”, “Eu não disse que as crianças devem apanhar. (…) Não disse nada com intenção de ofender os membros da comunidade GLBT. Minha intenção era apenas comunicar a verdade da palavra de Deus sobre o casamento”, escreveu ele em seu blog.

O motivo de seu sermão e da repercussão é que a Carolina do Norte deve votar em breve a legalização do casamento gay naquele Estado. Assim como em outros Estados americanos, desde o final de 2011 existem manifestações a favor e contra a união de pessoas do mesmo.

Recentemente, o evangelista Billy Graham, que mora na Carolina do Norte, escreveu um artigo para um jornal encorajando os eleitores a votarem a favor da emenda constitucional que deve “banir” o casamento gay.

“Assistir o declínio moral do nosso país me causa grande preocupação… eu creio que o lar e o casamento, a base de nossa sociedade, devem ser protegidos”.



“Nunca imaginei”, disse Billy Graham, “que aos 93 anos teria que debater a definição de casamento. Mas a definição de Deus é clara: na Bíblia o casamento é entre um homem e uma mulher”. A declaração do pastor foi reproduzida em 14 grandes jornais americanos, e será publicada em sua íntegra neste final de semana em vários outros.

Fonte: 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Mulher com tatuagem de Deus na testa é presa nos Estados Unidos

Exibindo uma tatuagem com a palavra "God" (Deus, em inglês) na testa, uma mulher de Ohio, nos Estados Unidos, foi parar na cadeia. 
 

Jamie Calloway, de 33 anos, é acusada de ameaçar e perseguir uma agente penitenciária. Segundo o site "Daily Mail", a moça já passou um tempo no xadrez por crimes como violência doméstica, roubo, posse de drogas, entre outras acusações.

Fonte:

Valdemiro Santiago da Igreja Mundial é vaiado na festa do 1º de maio em SP

O apóstolo Valdemiro Santiago da IMPD foi convidado pelos organizadores das festividades em comemoração ao dia do trabalho em São Paulo, e ao subir no palco para falar e orar recebeu pelo público presente uma longa vaia.



O apóstolo Valdemiro estava com a oportunidade para discursar e consequentemente abençoar o público que estava prestigiando a festa, mas a reação foi imediata quando o apostolo subiu no palco. De todos que passaram pelo palco, foi o único vaiado.

O líder religioso é investigado pela acusação de desviar dinheiro dos fiéis para enriquecimento pessoal. Segundo documentos oficiais, ele comprou uma fazenda milionária em Mato Grosso com doações feitas para a sua igreja no mesmo período, vários dos seus templos foram ameaçados de despejo por atraso dos aluguéis.

Além disso, Valdemiro investiu milhões de reais em cabeças de gado. O Ministério Público está apurando os negócios do apóstolo.

Mesmo sendo vaiado o apostolo ainda teve tempo de dirigir um palavra de benção aos que estavam vaiando, dizendo: “E a você que vaiou sem me conhece e sem conhecer este trabalho, que Deus abençoe você em Nome de Jesus”.

Assista:

Fonte:  

Pastores e padres ateus são encorajados a assumir isso publicamente

A Freedom From Religion Foundation e a Fundação Richard Dawkins criaram o The Clergy Project [Projeto Clero] em 2011. O grupo já passou de 200 membros em sua comunidade online. Seu objetivo é reunir todos os membros do clero, como pastores, padres, rabinos e outros líderes que já “abandonaram a fé”. Para fazer parte do Projeto, as pessoas devem “não ter crenças sobrenaturais e identificar-se como humanistas, livres-pensadores, agnósticos ou ateus”.
 Recentemente, o final da convenção da ONG Ateus Americanos marcou a “formatura” de pessoas como Teresa MacBain, 44, uma pastora que, através da rede de apoio on-line oferecida pelo Clergy Preoject, pode assumir publicamente que perdeu a sua fé e se descobriu ateia. 

A ex-pastora conta que suas dúvidas começaram alguns anos atrás. Ela foi responsável por uma igreja Metodista em Tallahassee, Flórida, com 200 membros. Agora, explica que decidiu se assumir em público, porque não conseguia mais ir em frente. “Eu vivi tanto tempo uma vida dupla. Qualquer pessoa que possui alguma integridade sabe que isso corrói sua alma. Ou falta de alma”.

O custo foi alto para MacBain. Alguns amigos se afastaram e membros da família dizem que ela não é bem-vinda em suas casas. Ela recebeu muitas mensagens cheias de ódio. A congregação de MacBain ficou surpreendida, empacotou as coisas dela e pediu que seu marido, um policial, fosse buscar tudo. 

O objetivo do projeto não é tirar pastores e padres do púlpito, mas ajudar aqueles que já abandonaram suas convicções e desejam, anonimamente, discutir como isso irá mudar as suas vidas. A esperança é que eles possam, como MacBain, sentirem-se forte o suficiente para encarar suas famílias, amigos anunciar seu ateísmo, mesmo sabendo que isso irá lhes custar sua carreira.

“Quando você sai do ministério, pode perder tudo isso”, disse Dan Barker, ex-pastor e atual vice-presidente da Freedom From Religion.”Você tem que se perguntar, ‘Quem sou eu agora?’ ”. O Projeto Clero é um lugar onde a sua auto-estima será restaurada”, explica.
Barker traça a origem do projeto ao apoio do conhecido líder ateu Richard Dawkins, além do filósofo Daniel Dennett e da pesquisadora Linda LaScola. Todos sentiram a necessidade de um lugar onde os membros ativos do clero pudessem ter um recomeço. 

A maioria das pessoas que procura ajuda descobre que têm muito em comum. Todos entraram no ministério para ajudar as pessoas, mas depois de um tempo começaram a questionar sua formação no seminário e foram abandonando a fé de forma gradual. Hoje compartilham a confusão e a frustração de viverem como ateus, mas trabalharem como religiosos.
“Eles têm dúvidas iniciais, mas não agem”, explicou a pesquisadora LaScola após a convenção da Ateus Americanos.”Então eles se calam. Eles não comentam isso com seus colegas. É um processo lento sair da crença e chegar até a total falta de crença”, Dan Barker diz que o projeto tem em seu banco de dados sacerdotes que ainda estão ativos em suas comunidade de fé, incluindo ex- evangélicos, ex-católicos, um par de ex-rabinos e um ex-líder muçulmano. Todos escolhem pseudônimos e compartilham na comunidade online tanto quanto eles se sentem confortáveis em dividir com o grupo.

Mike Aus, 48, era pastor de uma congregação de 150 pessoas em uma igreja não denominacional no Texas. Ele conheceu o Projeto Clero, após viver anos de “dúvida solitária”. Ele também falou no final da convenção, explicando que sentia como se um pesado fardo fora tirado de suas costas depois de conversar com as pessoas do Projeto. “A coisa mais importante foi saber que eu não estava sozinho. Foi vital ter uma comunidade onde podia conversar com pessoas que estavam vivendo as mesmas coisas que eu. Soube que não era o fim da linha, que havia vida após esse chamado”. 

Joe Vingle, membro da igreja do ex-pastor Aus, diz que “Algumas pessoas estavam com Mike há 20 anos ou mais. Eles ficaram realmente feridos. Ainda estão sentindo que tudo que aprenderam com ele é uma mentira”. Mas Vingle esclarece “Ele ainda é um amigo e estou interessado em ver onde isso irá levá-lo”.

Após o final da Convenção nacional da Ateus Americanos, os líderes do Projeto Clero se reuniram para debater como eles podem ajudar mais os ex-religiosos. As propostas foram oferecer empréstimos de curto prazo, bolsas de estudo e programas de assistência até eles encontrarem outro emprego. Também elegeram sua nova diretora: Teresa MacBain.

Fonte:

Juiz isenta Silas Malafaia de crime de homofobia

Muita vergonha alheia podemos sentir pelo juiz federal Victorio Giuzio Neto, da 24ª Vara Cível de São Paulo. Segundo o site “Folha Gospel”, ele extinguiu ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal contra o pastor Silas Malafaia, a TV Bandeirantes e a União.


Em seu programa na emissora paulista, “Vitória em Cristo”, Malafaia incitou a violência contra os homossexuais dizendo: “É para a Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha!”. O pastor se referia às imagens católicas usadas na última parada do orgulho LGBT de São Paulo. 

Em sua decisão, o juiz citou um artigo da Constituição, afirmando que permite exclusivamente a ela: “… estabelecer os meios legais que garantam à pessoa e à família a possibilidade de se defenderem de programas ou programações de rádio e televisão que contrariem o disposto no artigo 221, bem como da propaganda de produtos, práticas e serviços que possam ser nocivos à saúde e ao meio ambiente”.

Giuzio Neto ainda afirmou que proibir “comentários contra homossexuais” (sic) seria um retorno à censura. E que qualquer pessoa tem o poder de mudar de canal caso algo não lhe agrade. Malafaia comemorou no Twitter: “A Deus seja a gloria, na verdade, muitas glorias!!! Juiz federal extingui ação por homofobia feita contra mim!!”.

Fonte:

Ateus ou agnósticos tendem a agir mais por compaixão do que os mais religiosos, diz estudo

Pesquisa feita na Universidade da Califórnia, em Berkeley, sugere que pessoas muito religiosas são menos motivadas pela compaixão ao ajudar um estranho do que ateus e agnósticos.

Em três experimentos, cientistas detectaram que a compaixão é o que faz pessoas menos religiosas serem mais generosas. Já para os mais crentes, compaixão não tem tanta relação com generosidade, segundo os resultados publicados na revista Social Psychological and Personality Science.

Os dados desafiam a noção de que atos de generosidade e caridade são motivados por empatia e compaixão. Segundo os pesquisadores, isso acontece mais com pessoas menos ou nem um pouco religiosas.

“Nós descobrimos que, para pessoas menos religiosas, a força da conexão emocional com a outra pessoa é fundamental para determinar o quanto o outro será ajudado ou não”, diz o psicólogo social Robb Willer, coautor do estudo. Ele conta que para os mais religiosos, no entanto, a generosidade é baseada menos na emoção e mais em fatores como doutrina, senso de comunidade ou preocupações com a reputação.

A compaixão é definida no estudo como a emoção que sentimos ao ver outra pessoa sofrendo e nos motiva a ajudar, mesmo que isso nos traga algum custo.

O estudo analisou a relação entre compaixão, religião e generosidade, mas não identificou o motivo pelo qual religiosos agem menos por compaixão do que os outros. Os pesquisadores acreditam, no entanto, que essas pessoas são mais guiadas por um senso de obrigação moral.

“Nossa hipótese é que a religião muda a forma como a compaixão tem impacto no comportamento generoso”, afirma Laura Saslow, que participou da pesquisa como estudante de doutorado.

Ela relata que decidiu estudar o assunto depois de ouvir um amigo lamentar que havia feito uma doação às vítimas do terremoto do Haiti apenas depois de assistir a um vídeo emocionante em que uma mulher era salva dos destroços, e não pela compreensão lógica de que era preciso ajudar.

Fonte:

Pesquisa revela que jovens brasileiros aceitam tanto a ciência quanto a religião

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), coordenada pelo professor Nelio Bizzo, revelou que os jovens brasileiros têm facilidade de aceitar tanto a religião quanto a ciência e seus fundamentos, como a teoria da evolução de Charles Darwin.

O estudo foi realizado através de questionários aplicados a mais de 2300 alunos do ensino médio, de todas as regiões do país, tanto de ensino público quanto privado. “É o primeiro dado com representatividade nacional sobre esse assunto para esta faixa etária”, citou Bizzo.

O pesquisador é formado em Biologia e possui livros publicados abordando a teoria de Darwin, ele comentou sobre o resultado do estudo, “Ainda vamos fracionar e analisar mais profundamente as estatísticas, mas já dá para perceber que os alunos religiosos brasileiros são bem menos fundamentalistas do que se esperava”. Ele mostrou-se entusiasmado, “É surpreendente. Algo que sugere que no futuro teremos uma população com uma interpretação mais elástica das doutrinas religiosas e mais sensíveis à ciência”.

A média de idade dos alunos que foram entrevistado é de 15 anos, e sobre esse dado Bizzo disse tratar-se de uma fase de definição moral, “É um período crucial. Dificilmente os conceitos de certo e errado mudam depois disso”, citou. Ele ainda revelou, que “A porcentagem dos que rejeitam completamente a origem biológica do homem é menor que a de evangélicos da amostra, o que é uma surpresa, já que os evangélicos no Brasil costumam ser os mais fundamentalistas na interpretação do relato bíblico”, “A teoria evolutiva é talvez a coisa mais difícil de ser aceita do ponto de vista moral pelos religiosos. Mesmo assim, os dados mostram que a juventude brasileira é sensível aos produtos da ciência.”, explicou.

O físico e teólogo Eduardo Cruz, professor do Departamento de Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, também comentou sobre a pesquisa, “O problema é que a maioria dos estudantes – ainda mais com 15 anos – não tem muita clareza sobre o que está envolvido na teoria darwiniana. Com isso há o potencial de surgirem respostas contraditórias”, avaliou. “Isso não tem a ver com a qualidade da pesquisa, mas com a pouca compreensão de temas tanto científicos quanto teológicos. Além do que, quando se trata de perguntas que envolvem a intimidade das pessoas, as respostas nem sempre são confiáveis. É como perguntar a rapazes de 15 anos se ainda são virgens.”.

Já a coordenadora da Pós-Graduação em Educação da Universidade Metodista e professora da USP, Roseli, disse que “A fé, se bem sustentada, não é ameaçada pelo conhecimento científico”, e concluiu, “Sozinhas, nem a ciência nem a religião garantem que o ser humano seja bom e que o bem comum seja alcançado. É preciso a presença da ética, do respeito a todo ser humano, da consciência da responsabilidade individual na construção do bem comum.”.
Fonte: 

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Aluno é expulso da sala após se negar a participar de oração

As orações que ocorriam sempre antes da primeira aula no Colégio Estadual General Carneiro, em Roncador, a 400 km de Curitiba, foram suspensas pela direção após um aluno se recusar a participar, ser retirado da sala e denunciar a atitude da professora à Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea).


 O aluno, de 16 anos, do 1º ano do Ensino Médio contou ao G1 que é ateu e estuda na escola há seis anos, mas há dois não participa das orações. “Ela [professora de inglês] entrou na sala e mandou todo mundo levantar para participar da oração. Eu e mais um menino ficamos sentados e ela falou pra gente se retirar da sala. Saímos e quando terminou a oração, ela nos chamou”, relatou o estudante.

Segundo o garoto, ele se sentiu discriminado. “Me senti como se fosse pior que os outros alunos”.

 O caso foi na quinta-feira (12). Ao chegar em casa, o adolescente comentou o ocorrido com o tio, de 30 anos, que também é ateu. “Fiquei muito bravo, não gostei. Eles não poderiam ter feito isso, foi muita falta de respeito”, disse.

De acordo com o rapaz, a intenção inicial era de procurar o Fórum da cidade para denunciar a escola. Mas ele entrou em contato com a Atea, através de uma rede social, e foi orientado a falar diretamente com o colégio.

Assim que foi contatada, a associação encaminhou um ofício à escola orientando sobre os direitos legais de ateus e agnósticos. O documento cita o artigo 5º da Constituição Federal que estabelece que “é inviolável a liberdade de consciência e de crença”. “Ademais, o art.3 da CF afirma que “constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil... IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.

Uma oração única e obrigatória constitui ação claramente discriminatória contra todos aqueles que não são contemplados por ela, também violando a Lei Maior”, diz o ofício. Entre outros, o documento também cita o artigo 19 da Constituição que fala sobre a laicidade do Estado brasileiro e estabelece a separação entre Igreja e Estado. Desta forma, por ser uma escola estadual, onde foi o caso, não poderia haver referência à religião dentro do espaço público.

“Tem que criar cultura de liberdade de expressão e de proteção. Como acontece com negros, judeus, gays. (...) A associação ajuda nessa possibilidade de denúncia”, contou o presidente da Atea, Daniel Sottomaior. A diretora do colégio em questão disse que o “problema já foi resolvido”.

Na segunda-feira (16), após reunião, o conselho diretor determinou que não pode mais haver rezas em salas de aula. Segundo ela, rezar o Pai Nosso antes das aulas era “costumeiro”. “A cidade tem dois padroeiros e a maior parte da comunidade é religiosa. Todos são habituados a ficar em pé e rezar. (...) A professora não fez isso pra constrangê-lo ou discriminar”, apontou.

Após a proibição, o garoto, que contou que passou a não acreditar em Deus quando conheceu mais profundamente as “teorias da ciência”, afirmou que se sentiu melhor. “Senti que minha opinião vale”. O adolescente ainda comentou que ao voltar pra escola, algumas pessoas ficaram “olhando estranho" pra ele. Entretanto, acredita que a medida pode ajudar a acabar com preconceito contra quem é ateu.

Fonte:
G1

O julgamento sobre fetos anencéfalos

Desta vez a imprensa fez seu papel: deu voz a quem era contra ou a favor, discutiu os aspectos médicos e chegou até a informar – embora menos do que deveria – sobre um medicamento que evitaria a formação de fetos anencéfalos. O assunto, que movimentou jornais, revistas e emissoras de TV foi o julgamento, no Supremo Tribunal Federal (STF), da legalização do aborto de fetos anencéfalos. Que, como já se sabe, deixou de ser considerado crime.

Como acontece sempre que o aborto entra em pauta, a discussão foi entre os religiosos e os que se concentram na saúde da mulher. Mas, pelo menos desta vez, as mulheres foram ouvidas. Tanto as que levaram a gravidez até o fim (contra sua própria vontade ou que optaram por deixar a criança nascer) como as que interromperam a gravidez. Naturalmente a grande exceção – a menina que viveu quase dois anos – foi explorada pela TV, com entrevista da mãe e imagens da criança no seu colo. Em suma, não faltou o lado sensacionalista.

Além dos depoimentos das mães e dos juristas, tivemos a oportunidade de ler até os depoimentos de médicos que se sentem discriminados – entre os colegas – por fazerem o aborto amparados pela lei.

Mas o grande o destaque foram, sem dúvida, as sentenças dos juízes que votaram a favor, apresentadas resumidamente em quadros destacados nos jornais:

“O feto anencéfalo é incompatível com a vida. É desproporcional proteger o feto que não sobreviverá em detrimento da saúde mental da mulher.” (Marco Aurélio Mello, relator)

“ Não há interesse em tutelar uma vida que não vai se desenvolver socialmente. Proteger a mulher nesse caso é proteger sua liberdade de escolha.” (Rosa Weber)

“Ao redigir os artigos do Código Penal sobre aborto, o legislador não sabia que seria possível, no futuro, identificar a anencefalia ainda na gestação. É uma questão de saúde pública.” (Luiz Fux)

“O feto anencéfalo não tem viabilidade de desenvolver uma vida extrauterina. A anecefalia é um trauma para todos, não só para a gestante.” ( Carmen Lucia)

“Nem toda interrupção de gravidez é um aborto para fins penais. O martírio é voluntário e não deve ser imposto à gestante.” ( Carlos Ayres Britto)

Encerrada a votação, com a decisão de que o aborto deverá ser praticado pelo SUS, sem custo para as pacientes, o assunto entra num novo patamar, que certamente não vai mobilizar a imprensa como aconteceu durante o julgamento. A ponto de alguns veículos, como o Jornal do Brasil, terem feito uma pesquisa online entre seus leitores para saber se eles eram favoráveis ou não ao aborto de fetos anencéfalos (69% dos leitores votaram contra).

Resta agora a regulamentação do procedimento que deverá ser autorizado depois de avaliação médica. O Ministério da Saúde garantiu que esse ponto estará resolvido no máximo em 60 dias. E a imprensa, que deu tanto destaque ao assunto, deverá ficar atenta – e não, como acontece em tantos outros casos, deixar o tema cair no esquecimento.

Em reportagem publicada na edição de sexta-feira (13/4) do Estado de S.Paulo fica claro que o julgamento do STF regulamenta, mas não resolve o problema:

“Profissionais de saúde desconhecem as situações em que a legislação brasileira permite o aborto. Pesquisa do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (USP), feita na capital, mostra que 97% dos enfermeiros entrevistados; 90% dos psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas; e 32% dos médicos não sabem quando o procedimento é legal.”

A autora da pesquisa, a psicóloga Gláucia Rosana Guerra Benute, explica:

“O aborto é um tema difícil até para os profissionais da saúde. O desconhecimento é responsável por atitudes discriminatórias e julgamentos das pacientes”.

O coordenador do Ambulatório de Violência Sexual e Aborto Legal do Hospital Pérola Bayton, Jeferson Drezett (entrevistado na mesma reportagem), atribui o desconhecimento à falta de capacitação dos profissionais. E afirma:

“Não adianta apenas escrever normas. É preciso capacitar, treinar e orientar os profissionais sobre o tema.”

Ao mesmo tempo em que treina os profissionais para atender os casos de aborto previstos em lei, o Ministério da Saúde poderia usar o interesse da mídia em falar do assunto para discutir a prevenção desta e de outras doenças que afetam as mulheres, grávidas ou não.

[Ligia Martins de Almeida é jornalista]

Fonte:
Observatório da Imprensa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Wordpress Themes | Bloggerized by Free Blogger Templates | Macys Printable Coupons